NOTÍCIA

07/10/2019

Assisenses lotam show de Ney Matogrosso, em Marília

A turnê teve início em janeiro deste ano.


Assisenses lotam show de Ney Matogrosso, em Marília

No sábado 05 de outubro, o artista Ney Matogrosso, 78 anos completados em 1º de agosto, se apresentou no Golden Palace Eventos, em Marília-SP, com a turnê "Bloco na Rua" com o qual viaja pelo Brasil desde janeiro deste ano de 2019.

Na plateia, centenas de moradores de Assis – de idades variadas, foram até Marília de excursões e veículos próprios. Um desses grupos, formado por 50 pessoas, foi coordenado pela assisense Maria de Fátima Spera, conforme fotos na galeria abaixo.

Com um figurino de tirar o fôlego, o cantor que encanta gerações, mostrou mais uma vez para o que veio. O macacão deixava apenas uma parte dos pés, das mãos e do rosto sem a proteção da armadura dourada de metal e pedras, que em determinado momento teve o zíper aberto até quase o umbigo, arrancando gritos dos fãs – homens e mulheres, mais empolgados.

Com o jeito sedutor que o caracteriza, o olhar absurdamente expressivo – e até intimidador, o enigmático Ney mostrou o porquê de fazer sucesso desde os primórdios da banda Secos & Molhados (anos 70).

A plateia foi ao delírio com a entrada triunfal do artista, que abriu o show com a música "Eu quero é botar meu bloco na rua" (Sérgio Sampaio, 1972), que deu origem ao nome da turnê.

A apresentação demonstra a diversidade do repertório. Ney não ficou preso às músicas mais conhecidas, como Rosa de Hiroshima, Balada de um louco, O vira, por exemplo.

Nesse show foram cantadas A Maçã, Álcool, O Beco, Mulher Barriguda, Jardins da Babilônia, Já sei, Pavão Misterioso, Tua cantiga, Mais feliz, Yolanda, e outras, de vários compositores, em quase duas horas de apresentação.

No auge de seus 78 anos, com forma física invejável, Ney Matogrosso mostrou que tem o mesmo magnetismo, energia, flexibilidade, disposição, encantamento e sedução de sempre, raramente encontrados em um só artista, principalmente dessa idade.

Não é à toa que é considerado pela revista Rolling Stone como a terceira maior voz brasileira de todos os tempos e, pela mesma revista, trigésimo primeiro maior artista brasileiro de todos os tempos.

Ao término, os aplausos foram entusiasmados, com gostinho que “quero mais” a esse verdadeiro showman.

Fátima Spera (quarta da esq. p/direita) com parte do grupo da excursão.

Veja abaixo os registros:

 

Redação Abordagem

Fotos Dag Marciliano

 




Compartilhe: