NOTÍCIA

28/09/2017

Abdominoplastia: 12 dúvidas sobre a plástica do abdome esclarecidas

Muita gente quer fazer e tem dúvidas, que podem ser sanadas aqui!


Abdominoplastia: 12 dúvidas sobre a plástica do abdome esclarecidas

Cada cirurgia, naturalmente, tem objetivos bem específicos e também possíveis riscos, podendo ser bem indicada ou não para uma pessoa. Por isso, é fundamental só se submeter a uma cirurgia plástica se ela for feita por um profissional de confiança que, além de ter experiência, possa te orientar corretamente sobre todos os detalhes do procedimento, para que, assim, você possa avaliar os prós e contras e tomar sua decisão sobre fazê-lo ou não.

A abdominoplastia em especial, um procedimento bastante procurado, é a cirurgia que retira o excesso de pele do abdômen. Maieve Corralo, cirurgiã plástica, membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), da Associação Brasileira de Cirurgia Craniomaxilofacial (ABCCMF) e da American Society of Plastic Surgery (ASPS), diretora da clínica ELEV (RJ), explica que a abdominoplastia é usualmente associada à lipoaspiração, e deixa uma cicatriz que fica “na altura do biquíni”. “É um dos procedimentos mais procurados em nosso consultório, cerca de 30% das cirurgias”, comenta.

André Barbosa, cirurgião plástico e diretor médico da All Clinik, reforça que a abdominoplastia é a cirurgia realizada para corrigir flacidez e excesso de pele em abdômen e, na maioria dos casos, corrige também a diástase (afastamento) dos músculos retos abdominais.

Para quem a abdominoplastia é indicada?

Como no caso de outras cirurgias plásticas, é muito importante avaliar as indicações da abdominoplastia, não basta simplesmente “querer fazer”.

Maieve comenta que esta cirurgia é indicada para pacientes que apresentam flacidez de pele no abdômen, especialmente após uma gestação ou emagrecimento.

Barbosa ressalta como principais indicações: casos em que existem flacidez e afastamento da parede abdominal (músculos retos se afastam durante a gestação e, depois que o útero involui, a musculatura não volta para o local anterior) e quando existe excesso de pele. “Um típico exemplo é o ‘abdômen em avental’, onde a flacidez é tanta que a pele dobra-se sobre o abdômen”, diz.

Dessa forma, tanto homens como mulheres podem se submeter a esta cirurgia. Em contrapartida, a abdominoplastia não é indicada quando não existe excesso de pele e não há flacidez suficiente, conforme destaca Barbosa.

“Tabagistas devem evitar o procedimento enquanto estiverem fumando, pacientes que desejam engravidar devem postergar a cirurgia para depois da gestação. Pacientes jovens com acúmulo de gordura abdominal sem flacidez devem ser submetidos à lipoaspiração e não à abdominoplastia”, orienta Maieve.

Como é a cirurgia?

A especialista explica que, para realizar uma abdominoplastia, é necessário realizar exames pré-operatórios de acordo com o quadro clínico e fazer jejum de oito horas antes da cirurgia. “O procedimento tem duração variável, em média três horas. É necessário usar cinta modeladora por 2 meses no pós-operatório”, acrescenta Maieve.

“Na cirurgia, ressecamos um grande retalho abdominal (geralmente da linha da cesariana até o umbigo), depois fazemos um descolamento da pele que ficou até o apêndice xifoide. Em seguida, corrigimos a diástase (afastamento) dos músculos retos abdominais dando pontos em toda a extensão. Em seguida, tracionamos essa pele até cobrir toda área do segmento de pele e gordura que ressecamos no início. Incisamos a pele na altura do umbigo anterior, e damos pontos nas bordas da cicatriz umbilical deixando esse umbigo o mais discreto possível, sem aspecto de umbigo operado”, detalha André Barbosa.

Como fica a cicatriz da cirurgia?

Maieve explica que a cicatriz fica na região pubiana, ocupando toda porção anterior do abdômen, dentro da marca do biquíni, e outra na circunferência do umbigo.

Barbosa destaca que, a cicatriz ficando posicionada dentro do biquíni, não fica aparente com roupa de banho e lingerie.

Quais são os riscos da abdominoplastia?

O cirugião André explica que, como em qualquer cirurgia plástica, quando se é feita a consulta adequada e são solicitados todos os exames pré-operatórios e de risco cirúrgicos, existe uma grande segurança no procedimento. “Mesmo assim, toda cirurgia tem riscos inerentes a qualquer procedimento, dentre eles a embolia é o mais importante, pelo descolamento da pele. Fazemos, como rotina em nossos pacientes, toda profilaxia de embolia, como uso de massagem ativa pneumática (aparelhos que fazem massagem nas pernas durante todo o tempo da cirurgia, e depois no apartamento, até o paciente levantar e caminhar. Também usamos medicação específica no pós-operatório quando o paciente tem mais chances, como, por exemplo, quem tem varizes”, explica.

Como é a recuperação da abdominoplastia?

Barbosa destaca que, em torno de uns 15 dias, é preciso fazer um repouso maior. “Depois, gradativamente o paciente vai sendo liberado. “É importante ainda não esticar muito o abdômen, para não forçar a cicatriz, além de usar cinta de dois a três meses e não dirigir no primeiro mês”, diz.

Maieve acrescenta que o período de recuperação exige ainda que o paciente durma semissentado pelo período de 10 a 15 dias, assim como andar curvado. “Orienta-se dormir com a barriga para cima por 2 meses e usar cinta cirúrgica neste período. Não se pode elevar peso por 3 meses. Recomenda-se evitar exposição solar enquanto as cicatrizes estiverem avermelhadas”, diz.

12 dúvidas sobre abdominoplastia esclarecidas

Como acontece no caso de outras cirurgias, há muitas dúvidas sobre a abdominoplastia. Abaixo, os profissionais esclarecem as principais delas.

1. É verdade que esta é uma das cirurgias mais doloridas? Por quê?

A dor é muito relativa. “Quanto mais longa a cirurgia, mais estímulo álgico. Cirurgias como lipoaspiração costumam ser mais doloridas pois demoram mais. Um desconforto é relatado devido à plicatura dos músculos retos do abdômen, assim como uma restrição respiratória pela amarração dos músculos e pela cinta”, destaca Maieve.

Barbosa ressalta que, na verdade, o que incomoda são os pontos dados para corrigir o afastamento dos músculos retos abdominais, além de o paciente sentir o abdômen mais preso e esticado. “Essa sensação ocorre mais na primeira semana”, diz.

2. Para a pessoa fazer a abdominoplastia, ela precisa estar em seu peso ideal?

Quanto mais próximo ao peso ideal, melhores são os resultados. “Não se recomenda a realização de qualquer cirurgia plástica em pacientes com IMC (índice de massa corporal) maior que 30, pois existe maior probabilidade de complicações, como trombose, infecção e deiscência de suturas”, explica Maieve.

“O ideal seria estar com o peso ideal, para que possamos corrigir tudo que está sobrando de pele e, assim, modelar melhor o contorno do paciente. Mas costumo indicar cirurgia mesmo a pessoa estando um pouco acima (não obesidade) do peso, pois a cirurgia serve de estímulo para que ela continue o processo de emagrecimento”, acrescenta o cirurgião plástico Barbosa.

3. Quais são os resultados reais esperados com a abdominoplastia?

Maieve explica que o máximo recomendado pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica para retirada em uma cirurgia é 5% a 7% do peso. “Então, pacientes com mais que este excesso de peso não podem esperar um ‘abdômen chapado’. A cirurgia melhora o contorno, retira as gorduras localizadas e o excesso de pele, porém, não deve ser vista como uma forma de emagrecimento”, destaca.

4. É verdade que a pessoa que faz a abdominoplastia “nunca mais engordará”?

Mentira. “Quem faz abdominoplastia engorda, proporcionalmente, menos no abdômen do que quem não fez esta cirurgia, mas as células de gordura hipertrofiam em todo o corpo caso o paciente ganhe peso”, explica a cirurgiã plástica.

5. A mulher que ainda não teve, mas planeja ter filhos, pode recorrer a esta cirurgia?

“Recomenda-se aguardar a gestação para realizar uma abdominoplastia. Não é proibido engravidar depois de dois anos do procedimento, mas a paciente estará mais sujeita à formação de estrias e pode perder o resultado da cirurgia”, explica Maieve.

6. É possível fazer a abdominoplastia logo após o parto?

Barbosa destaca que não. “O ideal é esperar o corpo voltar ao normal. Costumo pedir para a paciente que aguarde um ano depois do parto”, diz.

7. A cirurgia acaba com as estrias do abdômen?

“Geralmente, do umbigo para baixo, sai toda a pele e suas estrias. O que estiver acima disso, e onde não foi ressecado, as estrias permanecem, porém mais finas, pois elas esticam junto com a pele do abdômen”, explica Barbosa.

Maieve ressalta que as estrias abaixo da cicatriz umbilical são retiradas com esta cirurgia. “Para as estrias acima da cicatriz umbilical recomenda-se a associação do laser de CO2 após a cirurgia”, diz.

8. Como é feita a abdominoplastia com lipo? (Quais as diferenças em relação à abdominoplastia normal)

“Na atualidade, é raro fazermos abdominoplastia sem lipo. A lipoaspiração melhora o contorno do abdômen, deixa a silhueta mais natural. A cirurgia sem lipoaspiração deixa o abdômen quadrado, sem curvas”, explica Maieve.

9. Miniabdominoplastia x abdominoplastia: qual a diferença?

“A miniabdominoplastia é indicada para as pacientes que apresentam flacidez leve na porção inferior do abdômen, sem flacidez acima do umbigo. Na abdominoplastia clássica, retiramos toda a pele abaixo do umbigo; já na mini, a principal parte da cirurgia é a lipoaspiração e sutura do músculo, a pele é retirada pela cicatriz da cesárea”, explica a cirurgiã plástica.

10. Quais são os principais cuidados na abdominoplastia para que o umbigo fique “o mais natural possível”?

Maieve destaca que o primeiro passo para isso é escolher um cirurgião plástico que se preocupe em esconder a cicatriz umbilical. “Depois, ter muito cuidado com os curativos e movimentar-se devagar para que não abra nenhum ponto”, diz.

11. É possível associar a abdominoplastia à colocação de silicone numa mesma cirurgia?

Maieve responde que tudo depende do estado clínico da paciente. “Se estiver tudo certo, é possível sim”, diz.

12. Como manter o resultado obtido com a cirurgia?

Ter uma rotina de atividade física e uma dieta balanceada é a recomendação para manter o resultado de qualquer cirurgia plástica, conforme destaca Maieve.

Além disso, lembra Barbosa, é preciso seguir todas as orientações passadas pelo médico.

Vale destacar a importância de somente se submeter a uma cirurgia plástica com um cirurgião plástico de confiança, registrado pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica. Além disso, é essencial ter expectativas reais sobre o procedimento.

Por isso, você deve tirar todas suas dúvidas sobre a cirurgia plástica com o seu médico e, também, ser sincera durante a consulta, quando será questionada sobre sua saúde, desejos e estilo de vida.

Dicas de Mulher.

 

Compartilhe: