NOTÍCIA

07/08/2019

Paciente internado no HC é segunda vítima de sarampo em Marília

O vírus do sarampo é altamente transmissível.


Paciente internado no HC é segunda vítima de sarampo em Marília

Um paciente de 41 anos internado no Hospital das Clínicas de Marília é a segunda vítima confirmada de sarampo na cidade, segundo a Secretaria Municipal da Saúde. A informação é da Vigilância Epidemiológica e foi obtida pelo Marília Notícia nesta quarta-feira (7).

Trata-se de morador do município que passou por vários estados recentemente. Portanto, ainda é apurada a origem do caso, possivelmente importado de outra localidade. Até esta segunda-feira (5) existiam 11 casos suspeitos na cidade e um único positivo.

Tratava-se, na primeira confirmação, de um morador de São Paulo que passou por Marília (onde fez o exame) no mês de julho, mas teria contraído a doença na Capital – ocorrência também classificada como importada.

Com a confirmação de mais uma pessoa com a doença, a administração municipal está fazendo um novo bloqueio em varredura, com verificação de cadernetas e imunização de pessoas que ainda não eram vacinadas.

O procedimento é padrão e envolve 24 quadras no entorno da residência, além de empresa com mais de 500 funcionários.

“A Secretaria da Saúde de Marília lembra que o alerta para o sarampo foi feito pela Secretaria de Estado de São Paulo, válido para todos os municípios, e pede à população que procure uma unidade de saúde, munido com a caderneta de vacinação, para averiguar a situação vacinal”, diz nota do município.

Segundo dados da Secretaria de Estado da Saúde, os municípios paulistas registraram 632 casos confirmados este ano, a maioria na Capital e entorno (484 no total).

Altamente transmissível, o vírus do sarampo passa de uma pessoa para outra através do contato com gotículas do nariz, da boca ou da garganta da pessoa infectada, quando ela tosse, espirra e respira.

Vacina

A principal proteção é a vacina. Para imunização são necessárias duas doses. A rede municipal disponibiliza o imunobiológico e recomendou a verificação das cadernetas, com vacinação a todas as pessoas com idade entre sete e 29 anos.

Os adultos acima de 30 anos e os nascidos a partir de 1960, também devem ser vacinados, de acordo com a anotação – completando ou iniciando o esquema vacinal.

Na região de Marília a oferta de vacina segue nos parâmetros normais. A saúde está fazendo a vacinação de rotina e também eventuais bloqueios, em casos de suspeita.

Notificações

Na Vigilância Epidemiológica, não é feita a notificação específica de sarampo em casos suspeitos, mas é realizada a notificação de doenças exantemáticas, um rol de patologias que incluem o sarampo.

Em 2016 foram oito casos suspeitos de doenças exantemáticas na cidade e todos foram negativos para sarampo.

Em 2017 houve três suspeitas, também todos negativos. Já no ano passado, a saúde verificou sintomas em dez pessoas e nenhum caso foi confirmado.

Em 2018, ainda segundo a Secretaria Municipal da Saúde, houve campanha específica contra Pólio e Sarampo. O município superou a meta do Ministério da Saúde e imunizou 96% das crianças (com mais de um ano e menos de cinco).

Porém, grupos da população com idade superior podem ter maior probabilidade de não possuir a vacina. Por isso, a importância de procurar uma unidade, com a caderneta em mãos.

 

Fonte: Marília Notícias

foto divulgação



Compartilhe: