Abordagem Notícias
SANTA CASA
MUNDO • 13/02/2023

EUA derrubam terceiro objeto voador em três dias

Um oficial das Forças Armadas disse que um dos objeto tinha uma estrutura octogonal.

EUA derrubam terceiro objeto voador em três dias

Marinheiros do Grupo 2 de Eliminação de Munições Explosivas recuperam destroços do misterioso balão chinês que foi derrubado pelos Estados Unidos na costa de Myrtle Beach, Carolina do Sul — Foto: U.S. Fleet Forces/U.S. Navy via Reuters

Os militares dos Estados Unidos derrubaram um outro objeto voador nesse último domingo (12), na região do Lago Huron, perto da fronteira entre EUA e o Canadá. Essa é a quarta interceptação desse tipo por caças americanos neste mês.

A informação inicial foi dada pelo deputado Jack Bergman, do estado de Michigan. Ele disse no Twitter que os militares "desativaram outro 'objeto' sobre o Lago Huron. Agradeço a ação decisiva de nossos pilotos de caça".

Autoridades do governo confirmaram a ação para a agência Reuters.

Em comunicado oficial, um representante do Pentágono (sede da defesa dos EUA) afirmou que o objeto foi abatido às 14h42 deste domingo por um caça F-16, a uma altitude de 6.100 metros, por ordens do presidente norte-americano, Joe Biden.

De acordo com o porta-voz, embora não representasse uma ameaça militar, o objeto poderia ter potencialmente interferido no tráfego aéreo local e poderia ter atividades de vigilância.

Segundo oficiais das Forças Armadas que falaram sob condição de anonimato, ainda não se sabe se o aparato era manobrável ou se estava simplesmente flutuando com as correntes de ar. Os oficiais também não deram detalhes sobre a última aparição do objeto.

Um oficial das Forças Armadas disse, em condição de anonimato, que o objeto tinha uma estrutura octogonal, que tinha cordas penduradas e que aparentemente não carregava nenhuma carga.

O aparato havia sido detectado recentemente sobre o estado de Montana, perto de áreas militares norte-americanas, o que levou ao fechamento momentâneo do espaço aéreo do país, disse o Pentágono. O objeto ainda não foi localizado e, segundo uma autoridade norte-americana, deve ter caído em águas que pertencem ao território do Canadá na hora em que foi abatido.

Segundo a deputada norte-americana Debbie Dingell, o governo ainda precisa dos fatos sobre a origem do objeto, qual o seu propósito e por que a frequência de aparições está aumentando no país.

Esse é o terceiro objeto voador que os EUA derrubaram em três dias. "Não os caracterizaremos definitivamente até que possamos recuperar os destroços, nos quais estamos trabalhando", afirmou um porta-voz da Casa Branca.

Além disso, em 4 de fevereiro um caça militar americano derrubou um balão chinês que seria usado para espionagem.

Nesse domingo (12), funcionários do Pentágono disseram que têm examinado o radar mais atentamente nos últimos dias e afirmaram que ainda não foram capazes de identificar quais são os objetos recentemente encontrados ou por quanto tempo permanecem no ar.

"Estamos chamando-os de objetos, não de balões, por uma razão", disse o general da Força Aérea Glen VanHerck.

De acordo com as autoridades norte-americanas, os episódios sobre os objetos voadores serão incluídos em um relatório de inteligência que será enviado ao Congresso Nacional dos EUA na segunda-feira (13).

O outro objeto abatido ainda é procurando

Investigadores canadenses estão procurando os destroços de um objeto voador não identificado que foi abatido por um jato dos EUA sobre o território de Yukon no sábado - uma região pouco povoada no extremo noroeste do Canadá, que faz fronteira com o Alasca.

"Equipes de resgate estão no local, procurando encontrar e analisar o objeto", disse o primeiro-ministro Justin Trudeau a repórteres no domingo, 12.

Alerta para invasões aéreas

Esses dois países da América do Norte estão em alerta para invasões de seus espaços aéreos desde o aparecimento de um balão chinês branco nos céus americanos, no início deste mês.

China avistou objeto voador não identificado e irá abatê-lo, diz imprensa local

Os americanos dizem que a China usava o balão de 60 metros de altura era usado para espionar, mas o governo chinês nega, e diz que era apenas para pesquisas sobre o clima.

Isso gerou um incidente internacional: o secretário de Estado Antony Blinken cancelou uma viagem planejada para a China em apenas algumas horas antes de ele partir.

Fechamento de espaço aéreo

Duas vezes em 24 horas, as autoridades americanas fecharam o espaço aéreo e reabriram rapidamente.

No domingo, a Administração Federal de Aviação fechou brevemente o espaço acima do Lago Michigan. No sábado, os militares dos EUA enviaram caças em Montana para investigar uma anomalia de radar lá.

 

Fonte: G1




lena pilates
Pharmacia Antiga