Abordagem Notícias
Unifio
LOCAL • 27/11/2022

Vandalismo nas placas do Parque Buracão indigna coordenador do Rotary Day

Em poucos meses todas as placas indicativas foram pichadas.

Vandalismo nas placas do Parque Buracão indigna coordenador do Rotary Day

Quem frequenta o Parque Ecológico “João Domingos Coelho”, chamado de Parque Buracão, verifica que vândalos destruíram as placas indicativas que foram gentilmente doadas pelos rotaries clubes de Assis, e implantadas ao longo do recinto em 1º de maio, quando realizado o Rotary Day. Em menos de sete meses, os investimentos - tanto financeiro, como de mão de obra, foram desconsiderados pelos autores da destruição do patrimônio público.

O coordenador do Rotary Day, Lincoln de Oliveira Lima, que é oficial reformado da PM, contatou a redação Abordagem Notícias para externar a sua indignação e questionar o porquê de não haver mecanismos que coibiam o vandalismo no interior de um parque que é frequentado por tantas famílias.
“É lamentável que em poucos meses o presente que os rotaries clubes de Assis ofereceram ao Parque Buracão, sob a responsabilidade da Secretaria do Meio Ambiente, esteja todo danificado. Isso é, além de descaso, falta de segurança, falta de cidadania e civilidade, além de crime contra o patrimônio público”, desabafa.

O rotariano relata que as placas foram colocadas em atendimento a um pedido da Secretaria da Cultura e Conselho Municipal de Turismo, inicialmente para chamar a atenção para o Museu de Arte Primitiva, localizado no espaço do parque. Os rotaries buscaram patrocinadores e, mais do que a implantação das placas com fotos das obras e informações sobre o museu, muitas foram as outras contribuições para tão importante local de lazer da população assisense.

“Estou realmente indignado em ver que tudo foi destruído. O museu é um dos melhores de arte primitiva do país e não é visitado. Com muito custo conseguimos patrocinadores, e, em menos de sete meses, tudo foi destruído; o gasto foi em torno de R$ 5 mil. Não tem vigilância, não tem controle? É lamentável, estou triste e decepcionado. Na pista de caminhada colocamos demarcação a cada 50 metros, placas de identificação de mais de 80 espécies de todas as árvores, plantio de mais de 300 mudas de árvores frutíferas, colocamos lixeira de material reciclável. Trata-se de um dos melhores espaços públicos da cidade e a gente vê que não tem segurança lá dentro, que foi tudo jogado fora. Fico muito chateado e descrente de querer ajudar a comunidade”, reitera indignado.

Veja a situação das placas:

 

Fonte: Redação