NOTÍCIA

04/08/2022

Por oito votos a seis, Arildo Almeida e Eduardo Vela permanecem na FEMA

A votação foi secreta e teve o voto do prefeito José Fernandes.


Por oito votos a seis, Arildo Almeida e Eduardo Vela permanecem na FEMA

A noite de quarta-feira, 03, foi movimentada e com muitas trocas de farpas no anfiteatro da Fundação Educacional do Município de Assis (FEMA). Pela rede social Facebook, Abordagem Notícias fez a transmissão exclusiva e completa da reunião que decidiu pela permanência do presidente da instituição, Arildo José de Almeida e do diretor executivo Eduardo Vela Gonçalves, também professor na FEMA. 

A sessão, demorada, com início às 19h30, e término após a meia-noite, teve oito votos favoráveis à permanência de Arildo e Vela à frente da Fundação, e seis contrários. A votação foi secreta e teve as participações de Hélio Paiva Mattos, Ricardo Hiroshi, Marcelo Carvalho Melo, Valter de Souza Filho, Nilson Silva, João Pedro Blefari Diniz, Marlene Barchi Dib, Fabiano Morelli, Andréa Lúcia Dorini de Oliveira Carvalho Rossi, Giovana Rodrigues Becheli, Edson Fernando Pícolo, Dulce de Andrade Araújo, Gustavo Gomes da Silva,  e José Aparecido Fernandes, prefeito de Assis, que chegou ao local com cerca de três horas de atraso. 

Comemoração ao término das votações favoráveis a Arildo e Eduardo Vela (foto Abordagem)

Houve impasse sobre o voto do prefeito e também do presidente da instituição, Arildo José de Almeida, investigado pela Câmara Municipal de Assis, Polícia Civil e Ministério Público, juntamente com Vela. Através de voto aberto dos conselheiros, decidiu-se que José Aparecido Fernandes poderia votar, mas o presidente da FEMA, não.

A princípio, Arildo e Vela prestariam seus esclarecimentos, e chegaram a ocupar a mesa diretora. Porém, por conta de questão estatutária, tiveram de voltar às cadeiras, e, o advogado Ricardo Hiroshi, vice-presidente do Conselho Curador, conduziu a reunião. Os esclarecimentos foram prestados depois. 

Com o anfiteatro lotado, muitos alunos ficaram do lado de fora (foto Abordagem)

 

A representatividade de quem votou


Marlene Barchi Dib (Dirigente Regional de Ensino de Assis)
José Aparecido Fernandes (Prefeito Municipal)
Dulce de Andrade Araújo (Secretária Municipal de Ensino)
Valter de Souza Filho (Associação dos Engenheiros, Arquitetos e Agrônomos de Assis e Região)
Antônio Fabiano Morelli (Associação Paulista de Medicina)
Marcelo Carvalho Melo (Associação Paulista dos Cirurgiões Dentistas)
Ricardo Hiroshi (Comunidade em geral)
João Pedro Blefari Diniz (Corpo Discente do IMESA)
Edson Fernando Pícolo (Corpo Docente do IMESA)
Nilson Silva (Entidades do Magistério)
Andréa Lúcia Dorini de Oliveira Carvalho Rossi (Unesp – Assis)
Giovana Rodrigues Becheli (Funcionários da FEMA)
Gustavo Gomes da Silva (Ordem dos Advogados do Brasil)
Hélio Paiva Mattos (Sindicatos dos Trabalhadores de Assis)

O que é a CPI instalada pela Câmara Municipal de Assis?

A Fundação Educacional do Município de Assis (Fema) é alvo de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) aberta pela Câmara de Assis (SP) na sessão do dia 20 de junho de 2022. São apuradas denúncias envolvendo falta de transparência em contas, possíveis fraudes no pagamento de salários, suposta falsificação de documentos públicos e eventual direcionamento de licitações. Os investigados são o presidente e o diretor executivo da Fundação, respectivamente, Arildo José de Almeida e Eduardo Vela Gonçalves, também professor na FEMA. 

Fazem parte da comissão os vereadores Fernando Sirchia (PDT) como presidente, Jônas Campos (Republicanos) como relator e a vereadora Vivane Del Massa (Progressista) como membro.

As denúncias são investigadas pela Polícia Civil e Presidente Prudente, Ministério Público e Justiça Criminal. 

 

Redação e fotos Abordagem

 


Compartilhe: