NOTÍCIA

19/04/2022

Morte de garotinha hospitalizada é apurada pela Polícia Civil de Assis

O óbito de Gabrielly, de 8 anos, ocorreu na tarde de segunda-feira.


Morte de garotinha hospitalizada é apurada pela Polícia Civil de Assis

Um boletim de ocorrência foi registrado no plantão policial de Assis pelo delegado Mateus Orlandi Buchaim, no início da noite de segunda-feira, 18 de abril, sob a natureza “morte suspeita/morte súbita, sem causa determinante aparente" de uma garotinha de 8 anos de idade. Gabrielly Vitoria Almeida Da Silva foi a óbito na Santa Casa de Misericórdia de Assis, para onde foi transferida pela UPA - Unidade de Pronto Atendimento.

No documento à polícia, Jaques Douglas Da Silva, pai de menina, relata que a filha não tinha nenhum problema de saúde e não passava por tratamento médico.

Segundo consta, no domingo, 17,  Gabrielly não passou bem, reclamava de dor na barriga e não conseguia ir ao banheiro, motivo pelo qual foi levada  até a UPA de Assis, onde foi consultada e liberada. Em casa, novamente se sentiu mal e retornaram com ela à mesma unidade, de onde foi encaminhada para a Santa Casa de Assis, local em que permaneceu em atendimento.

Ainda de acordo com boletim de ocorrência, na Santa Casa a mãe de Gabrielly,  Patrícia Almeida Rosa percebeu que ela estava com febre, deu um banho e relatou à enfermagem, sendo então aplicada uma injeção.

Foto divugada nas redes sociais

A menina teria dito que o braço ardia com a injeção e, logo em seguida, expressou que  iria morrer, o que realmente ocorreu,  ainda nos braços da mãe, por volta das 13 horas de ontem.

Segundo o pai, enfermeiros e médicos da Santa Casa tentaram socorrer a filha, mas ela não resistiu.

Diante a denúncia, o delegado registrou o boletim de ocorrência e expediu pedido de exame necroscópico.

O sepultamento da pequena Gabrielly ocorreu às 11 horas desta terça-feira. 

Santa Casa

NOTA DA SANTA CASA DE ASSIS

Referente a solicitação de informações sobre a paciente Gabrielly Vitoria de Almeida da Silva, a Santa Casa de Assis se solidariza ao momento de luto familiar e esclarece que:

• A paciente foi transferida da UPA para a Santa Casa de Assis na segunda-feira (18), sendo recebida na instituição às 9h55. Assim que internada, foi prontamente avaliada pela equipe médica da Pediatria de Plantão;

• Durante as poucas horas que permaneceu hospitalizada, a paciente recebeu assistência médica e de Enfermagem, sendo realizados exames laboratoriais e as condutas iniciais de assistência;

• Próximo das 12h a paciente teve um agravamento, sendo transferida imediatamente para a sala de estabilização, e socorrida por quatro médicos Pediatras e por três médicos clínicos e pela equipe de enfermagem do Pronto Atendimento;

• A Diretoria e a Equipe Assistencial solicitaram à família as providências necessárias para a realização da Autópsia, visto que não houve tempo hábil para o fechamento de um diagnóstico, pois a paciente esteve apenas por aproximadamente duas horas sob os cuidados da Santa Casa de Assis. Assim, para o total esclarecimento do óbito, a Instituição recomendou e orientou a família a viabilizar a realização da Autópsia, fato que, devido aos trâmites legais relacionados a este procedimento, acarretou na demora na liberação do corpo para a família. A Santa Casa de Assis reafirma seu compromisso com atendimento de qualidade e humanizado para todos.

 

 

Abordagem 

 


Compartilhe: