NOTÍCIA

05/04/2021

‘Tudo junto e misturado’: PM é acionada para PA Maria Isabel/Centro Covid, em Assis

A secretária justifica que numa pandemia não há como separar os serviços, mas são adotados cuidados.


‘Tudo junto e misturado’: PM é acionada para PA Maria Isabel/Centro Covid, em Assis

Nesta segunda-feira, 05, uma grande confusão ocorreu na Unidade Referencial Sudoeste (Pronto Atendimento Maria Isabel), onde está também instalado o Centro Covid, em Assis.

Isso porque, muitas pessoas procuraram atendimentos, não só com sintomas de Covid-19, e se depararam com o local sobrecarregado de usuários, incluindo crianças, adultos e idosos. A Polícia Militar e a Vigilância chegaram a ser acionadas. Houve grande número de denúncias e muitos reclamam que não conseguiram acessar o telefone indicado para as informações sobre aglomerações.

Além de contatarem o site Abordagem Notícias, muitas pessoas desabafaram nas redes sociais: “Pessoal fui levar minha filha no pronto atendimento do Maria Isabel. Estamos lá desde o meio-dia e fui atendida agora: três horas da tarde. Tem umas 50 pessoas lá, tem muita gente, está lotado e está tudo misturado, pessoas com covid, tudo junto. Aquele do lado (Centro Covid), que tinha somente pra covid, está fechado. Estão atendendo todo mundo junto e misturado no pronto atendimento. Tomem muito cuidado se precisarem passar por lá”, diz

Comentários se seguiram à postagem da mulher, como esse: “A central covid não está funcionando, levei minha filha lá no PA e a enfermeira me avisou que lá agora é só covid, tinha uma mulher com covid andando pra lá e pra cá, não isolaram ela, acabei indo embora. Ficamos sem lugar pra passar com outras doenças pq o PA e UPA estão atendendo só covid”.

O pai de um bebê de quatro meses de vida foi quem acionou a polícia.

Uma internauta, inconformada com a situação, questiona: “Alô Prefeito, cadê o dinheiro do Covid que veio ano passado? veio milhões para combater. Pq coloca quem não está com covid junto de quem está??? Sabemos que a saúde nunca foi prioridade em sua gestão. Trocaram a saúde por asfalto”.

 

Alegações

A secretaria Municipal de Saúde de Assis, Cristiani Silvério baixou no dia 29 de março de 2021, portaria que regulamenta o atendimento dos pacientes com síndrome gripal no Pronto Atendimento Maria Isabel, por considerar o cenário epidemiológico da pandemia causada pelo novo coronavírus e o aumento exponencial dos casos da Covid-19 no município de Assis e região.

Também é levado em conta o elevado número de atendimento na UPA - Unidade de Pronto Atendimento de Assis dos pacientes suspeitos e diagnosticados com Covid-19, havendo sobrecarga.

Em contato com a secretária, nesta tarde, foi explicado que o cenário é completamente atípico, e que, em uma pandemia, qualquer serviço de saúde tem de atender o novo coronavírus, mesmo porque é difícil saber quem está, ou não, contaminado, já que grande parte dos contaminados são assintomáticos.

A secretária esteve no local para verificar a situação, e o pai de um bebê, classificado com a cor azul, não quis esperar o atendimento e foi quem chamou a polícia. Ela relata que mais pro final da tarde a situação estava controlada.

O que se tenta fazer, segundo argumenta a responsável pela Secretaria Municipal de Saúde de Assis, é encontrar o melhor meio de atender todas as pessoas.

“Estamos no meio de uma pandemia e a UPA está sobrecarregada, bem como o Centro Covid. Assim, o PA Maria Isabel também precisou ser um local para atender essa demanda. Existe uma sala de espera grande e arejada. Improvisamos uma separação para casos suspeitos de Covid-19, mas hoje está muito difícil saber quem está, ou não, contaminado. Estamos no meio de uma pandemia”, reiterou.

A secretária alerta que todas as pessoas devem usar máscara e álcool em gel, disponibilizado em todas as unidades.

“Estamos fazendo de tudo para atender os pacientes, de todas as patologias, mas o momento é crítico. Se você vai procurar atendimento, pedimos que haja empatia, que use máscara facial, mantenha o maior distanciamento possível e higienize as mãos quanto mais puder”, finaliza.

Desde que o PA Maria Isabel e o Centro Covid foram praticamente integrados, mais médicos passaram a atuar no local, segundo Cristiani Silvério.

A secretária reiterou à reportagem que o Centro Covid continua atendendo e o que muda é que houve ampliação por conta do grande número de pessoas que buscam diariamente a unidade; ou seja, tanto o Centro Covid, quanto o PA Maria Isabel irão acolher quadros suspeitos do novo coronavírus para dar conta da demanda.

“Pra se ter uma ideia, há algumas semanas foram atendidos uma média de 500 a 550 pacientes no Centro Covid, em cinco dias, por apenas um médico. Em determinado horário até foi possível colocar outro médico para ajudar o Centro. A unidade referencial Sudoeste Pronto Atendimento não estava atendendo a nenhuma síndrome gripal, mas agora não dá mais para ser assim, porque está tendo uma demanda muito grande em todos os serviços”,finaliza.

 

Redação Abordagem

 



Compartilhe: