NOTÍCIA

27/02/2020

Assisense que mora na Itália fala sobre o coronavírus e medidas adotadas

Lella relata que já há brigas em supermercados e falta de mantimentos em algumas cidades.


Assisense que mora na Itália fala sobre o coronavírus e medidas adotadas

A fotógrafa assisense, Lella Sodré, que atualmente reside em Florença, na Itália, conta que a situação relacionada ao coronavírus ainda não é tão alarmante na região onde reside. Nesta quinta-feira, 27, informou que, no país, são 400 casos confirmados e 12 mortes, das quais todas as vítimas eram pessoas que já tinham um histórico de doenças anteriores.

“Aqui na Toscana, são dois casos, monitorados em casa, com essas pessoas melhorando. Nós estamos bem, tomando todas as precauções indicadas, como não frequentar lugares fechados, lavar as mãos por 20 segundos toda vez que voltar pra casa, usar álcool 70 em gel, depois de tocar superfícies em lugares públicos”, relata.

Lella conta que medidas duras foram adotadas pelo governo, o que é assustador. “Os monumentos foram fechados, por conta das aglomerações, isso evita mais contágio. O governo italiano nos informa, duas vezes por dia, sobre a evolução do contágio e situação dos doentes. Medidas duras foram adotadas, e isso assusta de verdade. As ruas estão vazias em algumas cidades mais ao norte do país. Aeroportos e estações de trens operam normalmente, salvo algumas que fazem trechos de cidades em quarentena (nem todos estão doentes nestes lugares). Medo, todos nós temos, mas a boa notícia é que também já tem duas pessoas curadas em Roma”, descreve.

A assisense admite que algumas reações assustam:  “as pessoas estão começando a surtar por aqui. Já temos notícias de brigas em supermercados e falta de mantimentos em algumas cidades”, expõe. 

Apesar disso, e diferente do que se pensa, não se vê com muita frequência pessoas com máscaras. “A ordem é só usar máscaras quem está doente, e depois, estamos meio quietos aqui, não tenho ido ao centro, só as crianças continuam indo às escolas. Em Florença, e na Toscana em geral, as coisas estão mais tranquilas, a tensão é maior no norte da Itália”, pontua para a reportagem Abordagem Notícias. 

Em sua rede social, Lelinha, como é conhecida, tem tranquilizado parentes e amigos, preocupados com a situação na Itália, atualizando os dados, diariamente. 

 

Abordagem Notícias

 



Compartilhe: