NOTÍCIA

27/09/2019

Cândido Mota realiza ‘Caminhada da Memória’ neste sábado, 28

Na última terça-feira, dia 24, aconteceu a 1º Capacitação ‘Doença de Alzheimer’


Cândido Mota realiza ‘Caminhada da Memória’ neste sábado,  28

Cândido Mota realiza ‘Caminhada da Memória’ neste dia 28 — Foto: Divulgação/Prefeitura Municipal de Cândido Mota

A prefeitura de Cândido Mota por meio da Secretaria de Saúde e Fundo Social de Solidariedade em parceria com a Clínica Rigolin – Envelhecimento e Geriatria de Marília, irá realizar no sábado, 28 desetembro, a 1º ‘Caminhada da Memória, Doença de Alzheimer – Abrace esta causa’. Com saída às 9h da Estação das Artes, na rua Coronel Valêncio Carneiro, a ação integra as ações do ‘Setembro Lilás’, mês de conscientização sobre a doença de Alzheimer.

O parceiro da ação, Valdeci de Oliveira Santos Rigolin, médico geriatra, docente da geriatria e gerontologia na Faculdade de Medicina de Marília, a Famema, atua há mais de duas décadas com grupos de apoio e instituições que trabalham pela difusão de informações e apoio às famílias e pacientes.
A presidente do Fundo Social de Solidariedade de Cândido Mota Neia Bueno, conheceu o trabalho do médico diante de necessidade familiar no ano de 2018 e de lá pra cá varias ações aconteceram envolvendo a prefeitura de Cândido Mota e o médico Valdeci Rigolin.

No ano passado, também dentro das atividades de ‘Setembro Lilás’, o médico Rigolin esteve em Cândido Mota para uma palestra, quando o salão do Clube Renascer da Terceira Idade ficou totalmente tomado por profissionais da área, familiares com algum parentes acometidos com a doença de Alzheimer e convidados.

A participação do médico em Cândido Mota continuou, sendo que na última terça-feira, dia 24, no auditório do Centro Vocacional Frei Paulino, aconteceu a 1º Capacitação ‘Doença de Alzheimer’ para profissionais da área de saúde. “Para nossa satisfação, a capacitação que seria para profissionais da saúde, contou também com representantes da área da educação, assistência, entidades, Santa Casa, Corpo de Bombeiro e outros profissionais. A capacitação foi de grande importância e trouxe novas informações”, falou a secretária de Saúde Amanda Mailio Santana. “Trabalhamos o ano todo com prevenção e promoção à saúde e a presença do Rigolin é de extrema importância para nós”, continuou.

Satisfação

Neia Bueno, por sua vez, disse da satisfação de contar com o profissional na ações em Cândido Mota. “É uma satisfação muito grande poder contar com um profissional com tanto conhecimento em uma doença com número cada vez maior de novos casos. Com as palavras dele fica mais fácil de entender e respeitar a pessoa com Alzheimer”, disse.

O prefeito Roberto Bueno, ao falar aos participantes da capacitação e ao médico Rigolin, agradeceu ao público e disse da importância do evento: “Como o doutor Rigolin já disse, é uma doença que não tem cura, mas, tratamento. Com informações e novos conhecimentos podemos proporcionar a sensibilização da família em relação ao envelhecimento, o combate ao preconceito e o diagnóstico precoce, para dar uma melhor qualidade de vida ao paciente com doença de Alzheimer. Rigolin trata o tema de uma forma simples, facilitando o entendimento das causas, consequências, tratamento e principalmente a prevenção da doença”, destacou o prefeito, que aproveitou para convidar para a 1º ‘Caminhada da Memória, Doença de Alzheimer – Abrace esta causa’.

“Não podemos fazer tudo por todos, mas sempre podemos fazer algo por alguém”, disse Rigolin, que convocou todos para agregar e abraçar a causa. Ele destacou a importância do contato e do carinho de familiares de quem convive com o paciente de Alzheimer. Não apenas na relação de cuidado, mas também junto ao médico e outros profissionais de saúde, já que é muito importante a confiança entre médico, paciente e o cuidador, seja ele da família ou profissional.

De acordo com Valdeci Rigolin, a doença de Alzheimer age lentamente na mente e no corpo, levando a pessoa, aos poucos, a precisar de ajuda. “A dependência aumenta até que o doente fique completamente necessitado de ajuda. Ele perde a vontade de fazer atividades e necessita de estimulo para realizar atividades que ainda consegue fazer”, explicou.

 

Fonte - O Diário do Vale



Compartilhe: