Abordagem Notícias
SANTA CASA
POLÍCIA • 29/11/2023

Cabelos nas mãos da vítima e marcas de chinelos no sangue levaram ao autor da chacina

Invasão e estupro: A dinâmica do bárbaro assassinato de mãe e três filhas em Sorriso.

Cabelos nas mãos da vítima e marcas de chinelos no sangue levaram ao autor da chacina

Uma mãe e três filhas foram assassinadas na madrugada do último sábado, em Sorriso, no estado de Mato Grosso. Cleci Calvi Cardoso, de 45 anos, Miliane Calvi Cardoso, de 19 anos, Manuela Calvi Cardoso, 13 anos, Melissa Calvi Cardoso, 10 anos, tiveram a casa invadida, no Bairro Florais da Mata, em Sorriso/MT, horas depois de fazerem o último contato com o pai, que é caminhoneiro e trabalhava no Paraná, no dia do crime.

Cleci, Miliane e Manuela também foram abusadas sexualmente, segundo a Polícia Civil. O autor dos assassinatos é Gilberto Rodrigues dos Anjos, que morava e trabalhava em uma obra ao lado do imóvel onde vivia a família e era procurado por ter estuprado uma mulher, também de faca em punho, e por latrocínio.

Cleici era proprietária de uma empresa de prestação de crédito e a filha mais velha, Miliane, cursava agronomia em uma faculdade do município. Já as filhas mais novas, Manuela e Melissa, tinham um canal de YouTube onde falavam sobre o amor entre irmãs.

Vítimas do maníaco foram seputadas na terça-feira (fotos redes sociais)

O autor do assassinato já havia cometido ao menos outro crime semelhante em setembro deste ano, no município de Lucas do Rio Verde. Ambos os casos, segundo o delegado Bruno França Ferreira, que investiga desde segunda-feira a chacina da família, são idênticos e seguem o mesmo padrão.

Entenda a dinâmica do crime na madrugada de sábado, dia 25 de novembro:

Último contato


Na noite de sexta-feira, mãe e filhas fazem o último contato com o pai, que é caminhoneiro e viajava a trabalho. Ele estava no Paraná e passou a ficar preocupado, quando, na manhã de sábado, não conseguiu contato com a mulher e as filhas, chegando a pedir a um amigo que passasse pela casa e observasse se o carro estava na garagem.

Invasão

Depois de usar entorpecentes, Gilberto invade a casa das vítimas pela janela do banheiro, na madrugada de sábado. Em depoimento, ele alegou que sua intenção era roubar.

Confronto com Cleci

Ao ser surpreendido por uma das vítimas, a mãe, identificada como Cleci Cardoso, eles entraram em luta corporal. Ele, então, pegou uma faca e a atacou.

Filha mais velha tenta defender

Ao perceber a movimentação, a filha mais velha, identificada como Miliane, de 19 anos, sai do quarto e tenta defender a mãe. Ela também é atacada por Gilberto.

Morte das crianças

Após atacar Cleici e Miliane, Gilberto mira nas crianças, de 10 e 12 anos. Elas também foram mortas por ele. A mais nova teria sido asfixiada. A mãe e as duas filhas mais velhas também foram abusadas sexualmente, pouco antes de morrer. A mulher foi encontrada com um tufo de cabelos do criminoso, nas mãos. Todas estavam nuas.

O maníaco levou as calcinhas das vítima, como troféu da mosntruosidade cometida. 

Prisão

As marcas de chinelos nas poças de sangue deixadas pela casa coincidiram com os que foram usados pelo pedreiro, encontrado na obra ao lado da residência das vítimas. As roupas que ele usou, sujas de sangue, foram encontradas em um conteiner. 
O maníaco confessou o crime e teria detalhado à polícia que estuprou a mãe e três filhas dela, só não fazendo o mesmo com a menina de 10 anos, a qual asfixiou. 

Ele foi preso, ainda na obra vizinha à casa, e teve que ser levado para a penitenciária Dr. Osvaldo Florentino Leite Ferreira, em Sinop (500 km de Cuiabá) porque as autoridades ficaram com medo de linchamento na cidade de Sorriso, onde os assassinatos ocorreram.

Um predador

O delegado acredita que os crimes tenham sido premeditados. “A premeditação é o óbvio porque Gilberto Rodrigues do Anjos, de 32 anos, morava na obra no local do crime e como todo predador sexual já vinha espreitado suas vítimas. A alegação de que a droga seja responsável não convence a Polícia Civil. Primeiro porque esse rapaz já era foragido por um crime exatamente igual em Lucas do Rio Verde, é um latrocida foragido da cidade de Mineiros, em Goiás, e ele foi preso com roupas íntimas das vítimas na maior demonstração de ser um predador sexual em série”, disse  Bruno França Ferreira.



 

Fonte: redação, com informações de sites do MT