Abordagem Notícias
Unicesumar
SAÚDE • 03/11/2022

Urologista lembra que câncer de próstata é altamente curável, se descoberto no estágio inicial

O urologista Glauco Melo fala sobre o assunto.

Urologista lembra que câncer de próstata é altamente curável, se descoberto no estágio inicial

A cada 7 minutos, um homem é diagnosticado com câncer de próstata no Brasil. Há cada 40 minutos, um morre. Estes e outros números do Instituto Nacional do Câncer -- Inca justificam a importância do Novembro Azul, mês dedicado a conscientizar os homens acima dos 50 anos a realizarem os exames preventivos PSA e toque retal uma vez por ano. O urologista Glauco Melo, do Austa Hospital, de Rio Preto, que integra a Hospital Care, apresenta um só argumento que, por si só, é suficiente para justificar o quanto é fundamental esta rotina preventiva.

“Quando se diagnostica o câncer na fase inicial, a chance de cura ultrapassa os 90%. Já quando o tumor é descoberto em estágio avançado, a chance de morte também é maior que 90%”, afirma o médico. E, segundo o Inca, 20% dos homens recebem a triste notícia do urologista quando o estágio é avançado, de acordo com o Inca. “É muito triste quando constatamos um paciente com o tumor já grave, pois reforço que é uma doença altamente curativa”, completa o urologista.

O câncer de próstata, glândula responsável pela produção de esperma, é o tipo mais frequente entre os brasileiros, depois do de pele, ocorrendo geralmente em homens com mais de 65 anos (6 em cada 10 casos da doença são diagnosticados nesta faixa etária para cima). Segundo o Inca, a incidência na população masculina brasileira é de cerca de 53 casos para cada 100.000 habitantes. No triênio 2020-22, foram registrados no país 65.840 novos casos.

Sintomas

A maioria dos cânceres de próstata não tem sintomas e cresce lentamente, por isso a rotina do exame anual é tão importante. Tumores em estágio mais avançado podem ocasionar dificuldade para urinar, sensação de não conseguir esvaziar completamente a bexiga e hematúria (presença de sangue na urina).

Dor óssea, principalmente na região das costas, devido à presença de metástases, é sinal de que a doença evoluiu para um grau de maior gravidade.

Diagnóstico

Como Dr. Glauco explicou, o câncer de próstata pode ser diagnosticado através do exame físico (toque retal) e laboratorial (dosagem do PSA). “Caso o médico constate o aumento da glândula ou PSA alterado, realiza uma biópsia para averiguar a presença de um tumor e se é maligno. Se for, o paciente precisa ser submetido a outros exames laboratoriais para se determinar seu tamanho e a presença ou não de metástases”, salienta o urologista do Austa Hospital.

Tratamento

O urologista explica que o tratamento depende do tamanho e da classificação do tumor, assim como da idade do paciente e pode incluir prostatectomia radical (remoção cirúrgica da próstata), radioterapia, hormonoterapia e uso de medicamentos. Para os pacientes idosos com tumor de evolução lenta o acompanhamento clínico menos invasivo é uma opção que deve ser considerada.

 

 

Fonte: Assessoria de imprensa



WEB5