Abordagem Notícias
Unifio
EXCLUSIVO • 13/10/2022

Caso Belucci: Após 16 anos do latrocínio 4 réus serão julgados

Atipicamente, serão dois dias de júri em Assis-SP

Caso Belucci: Após 16 anos do latrocínio 4 réus serão julgados

Um dos crimes de destaque nacional, praticado em Assis-SP, foi o bárbaro assassinato do empresário José Victor Bellucci, aos 59 anos de idade, no dia 02 de dezembro de 2006. Ele tinha uma imobiliária e realizava empréstimos financeiros, o que, segundo a polícia divulgou à época do homicídio, teria sido a causa da execução.

Quatro homens, todos moradores do Paraná, foram pronunciados pelo Ministério Público e serão julgados no Fórum da Comarca de Assis, nos dias 19 e 20 de outubro de 2022, com início às 9 horas. Eles estão em liberdade.

São réus: Ronaldo Pedro da Cruz (advogado, João Carlos Merlim), Rodrigo Dias da Silva (advogado Marcos Emanuel Lima), Marcos Adriano Braga da Silva (advogado Sérgio Afonso Mendes) e Antônio Aparecido Gomes (advogado Alex Bernardino Carlos).

Na acusação estará o promotor de justiça, Fernando Fernandes Fraga, assistido pelo advogado, Carlos Pinheiro.

O crime

José Victor Bellucci tinha uma empresa no ramo imobiliário, mas atuava também com empréstimos informais de dinheiro. Às 11h30 do fatídico 02 de dezembro de 2006, ele foi rendido em seu escritório, na Rua Fadlo Jabur, 159, juntamente com um funcionário, de 26 anos de idade. Dois homens, armados e com os rostos ocultos por capacetes com e viseiras, renderam ambos e teve início uma sessão de violência, em especial, contra o empresário.

Logo após o crime, o funcionário/testemunha relatou à polícia que os autores, sendo dois homens, entraram no escritório imobiliário, portando revólveres calibre 38, canos oxidados, surpreenderam as vítimas que estavam de costas para a porta de entrada do escritório. Os invasores anunciaram o assalto e prenderam os pés e as mãos do patrão e funcionário, com fitas adesivas.

Após a fuga dos indivíduos, chegou ao local uma pessoa que libertou ambos e chamou a polícia. O funcionário retirou a fita adesiva da boca de Bellucci e tentou reanima-lo. Socorrido ao PS local, o empresário foi a óbito.

De acordo com divulgação à época do crime, foram levados dinheiro e cheques que estavam no escritório, além de um celular, que foi importante para que a polícia chegasse até os acusados, que nos próximos dias 19 e 20 irão sentar nos bancos dos réus.

 

 

 

 

Fonte: Redação




lena pilates
Pharmacia Antiga