NOTÍCIA

21/05/2021

População se revolta contra poluição de multinacional em Paraguaçu

Moradores passam mal e cobram ação da Prefeitura, Câmara, Cetesb e Ministério Público.


População se revolta contra poluição de multinacional em Paraguaçu

Apesar da emissão de nota pela prefeitura municipal e pela própria empresa, os moradores de Paraguaçu Paulista continuam sofrendo com a emissão de uma densa e mal cheirosa fumaça pela empresa Louis Dreyfus Comodities – LDC, que vem ocorrendo desde a semana passada.

Segundo as notas, o problema, teve início na última sexta-feira, 14 de maio, e estaria acontecendo por conta de um super aquecimento de tubulações que passam por debaixo dos locais de armazenamento de amendoim, o que causou, na semana passada um incêndio nessas instalações. A empresa informou ainda que já controlou o incêndio e que contratou uma empresa para analisar a causa do aquecimento e a solução a ser providenciada, porém isso ainda deve demorar toda esta semana.

Segundo informações da Assessoria de Imprensa da prefeitura municipal, o departamento de meio ambiente vem acompanhando os procedimentos. Câmara Municipal, Ministério Público, Cetesb e Corpo de Bombeiros, estiveram no local, notificaram a empresa sobre os fatos e multas deverão ser aplicadas por danos ao meio ambiente e à saúde pública, entre outras questões.

A população tem se valido das redes sociais para protestar e, conforme relatos, incômodos foram registrados em praticamente toda a cidade. Pessoas reclamaram de agravos à saúde, especialmente com problemas respiratórios, ardor nos olhos e gargantas, com algumas pessoas recorrendo à inalação e idas ao Pronto Socorro para medicação. Houveram relatos de mortes de animais de estimação em residências.

Polícia Militar e Bombeiros estiveram na empresa na noite de terça, porém novas rodadas de reuniões deverão ocorrer nesta semana com órgãos ambientais e diretoria da LDC

Outra reclamação recorrente é a registrada por comerciantes, especialmente os que trabalham com confecções e alimentos que, segundo eles, tiveram seus estoques comprometidos pela fumaça e pelo mal cheiro. “Como vou vender minhas roupas agora. Se lavar ninguém compra e se não lavar, vou vender roupas fedidas? Quem vai pagar meu prejuízo?” – desabafou a comerciante.

Na noite desta terça-feira a situação ficou ainda pior e a cidade foi tomada pela fumaça. Moradores das proximidades foram até a porta da empresa, realizaram um “buzinaço” de protesto e pediram uma posição da empresa. Não foram recebidos e a Polícia Militar foi acionada. Os policiais estiveram no local, acompanharam a manifestação pacífica e, ao final, realizaram um Boletim de Ocorrência sobre o fato. Vários moradores se propuseram a registrar a ocorrência, porém, até as primeiras horas de quarta, nenhum BO havia sido lavrado na Delegacia de Polícia.

Nesta quarta-feira, 19 de maio, os diretores da empresa se disponibilizaram a reunir-se com a imprensa e representantes municipais e da população, buscando esclarecer os fatos reais e as providências que a empresa vem tomando sobre o fato.

Os moradores estão circulando informações sobre cuidados com a saúde recomendáveis para este tipo de situação com muita fumaça, porém alertam que se a situação persistir, haverá um agravo de problemas respiratórios, comuns nesse período, e do atendimento de saúde, visto que a cidade está com o sistema de saúde sobrecarregado em função do constante crescimento do número de casos de contaminação e até mortes, pelo Covid-19, na cidade.

 

Foto: Trassos Comunicação

 



Compartilhe: