NOTÍCIA

04/06/2020

Retirada da pintura de São Vicente de Paulo da Basílica da Vila Xavier causa indignação

São várias as manifestações contrárias à retirada nas redes sociais.


Retirada da pintura de São Vicente de Paulo da Basílica da Vila Xavier causa indignação

Quem entrar na Basílica de São Vicente de Paulo, mais conhecida por “Igreja da Vila Xavier” – inaugurada em 1957, certamente perceberá a ausência da pintura feita na abóboda, com a imagem de São Vicente de Paulo. A igreja, como outras da cidade, esteve fechada neste período de pandemia. Ao ser reaberta, a decepção pelo sumiço da obra de arte - feita há muitos anos na parede do altar, tomou conta dos frequentadores, que hoje passaram a se manifestar em uma página de fotografias de Assis, no facebook. 

A obra foi encomendada pelo então pároco da Basílica, o padre José Contini (In memoriam), que pertencia Pontifício Instituto das Missões Estrangeiras (PIME). Quem pintou foi o artista plástico assisense Audálio Duarte, que hoje atua em Marília-SP.

Em uma entrevista para o informativo da Diocese de Assis, disse o religioso naquela ocasião: “Quem entra em nossa Basílica olha com interesse o desenho que se encontra acima da pintura de São Vicente. Trata-se de uma pintura original e diferente. Muito provavelmente é a única no mundo, por sua originalidade”.

Abordagem Notícias tentou falar com o atual pároco da Basílica, o padre Alberto Rodrigues dos Santos, para poder informar aos leitores o porquê de o desenho ter sido substituído pela pintura em branco, mas não conseguiu contatá-lo. A retirada de imagens de santos das igrejas, substituídos por uma cruz, tem sido comum. Pode ter havido, segundo especulações, alguma infiltração na parede. Mas só o padre poderá explicar o real motivo, e aqui fica aberto espaço para sua manifestação, caso julgue procedente. 

Através de ligação telefônica à Mitra Diocesana, também não foi possível obter uma resposta, e, segundo foi informado à reportagem, tampouco o bispo dom Argemiro de Azevedo saberia da mudança na decoração da igreja.

Ao fundo ao altar, a ausência da imagem de São Vicente de Paulo. 

 

Sobre a pintura, nas palavras do padre Contini à revista da Diocese de Assis: 

A história desse quadro remonta a uma trezena de anos. Estava eu trabalhando numa casa do PIME, na Sicília, na Itália. Em nossa casa era celebrada, aos domingos, uma Missa em língua inglesa destinada aos pilotos da força aérea americana e suas famílias. Naquela oportunidade um militar quis conversar comigo. Estava ele bastante emocionado porque tinha uma história para contar. Na verdade este piloto fazia um serviço de vigilância aérea entre a Líbia e a Sicília. De repente ele viu diante de si, no meio das nuvens, esta representação que nós temos. Fotografou e mais tarde revelou a imagem. Apareceu, então claramente distinta uma figura com contornos definidos.

O militar me ofereceu uma foto e pude realmente ver que se tratava de uma figura muito original. Parecia uma imagem de Cristo de braços abertos. Usava uma túnica branca com uma cintura. O rosto era definido, mas sem detalhes, ou seja, não havia olhos, boca e os demais detalhes de um rosto. Os cabelos eram sem cor… A fotografia me impressionou bastante e a guardei no meu breviário. Queria com isso mostrar a foto aos amigos e contar a história que eu acabava de ouvir.

Quando foi feita a pintura da Basílica, estava preocupado em desenhar algo na parte alta do altar, mas não conseguia reunir idéias adequadas. Foi quando surgiu a idéia de reproduzir o que a foto tinha. Creio que fui inspirado porque tudo indicava que seria uma coisa importante. Os trabalhos foram realizados e aí estão.

Todos ficamos admirados e impressionados com o que vemos. Cada qual empresta olhos, boca, nariz, cabelos, etc… ao Senhor Jesus que representa. Provoca um clima de religiosidade e de piedade e isso é muito bom.

Nós da Basílica estamos orgulhosos por termos esta imagem tão bela e podemos afirmar que ela ajuda no crescimento espiritual dos fiéis que freqüentam a nossa Basílica”. 

 

Quem foi São Vicente de Paulo?

Vicente de Paulo, nascido Vincent de Paul ou Vincent Depaul, (Pouy, 24 de abril de 1581 — Paris, 27 de setembro de 1660) foi um sacerdote católico francês, declarado santo pelo Papa Clemente XII em 1737. Foi um dos grandes protagonistas da Reforma Católica na França do século XVII.

O corpo incorrupto de São Vicente de Paulo

Cinquenta e dois anos após a sua morte, o corpo foi exumado pela primeira vez diante de dois médicos, autoridades da Igreja e outras testemunhas. Foi encontrado incorrupto, com sinais de deterioração apenas no nariz e nos olhos. Os médicos atestaram que esta preservação não poderia ocorrer por meios naturais. Vinte anos mais tarde, por ocasião da canonização, o corpo já estava em estado de decomposição devido a inúmeras inundações no terreno.

O corpo de São Vicente de Paulo, reconstituído em cera, está atualmente exposto à visitação pública na Capela de São Vicente de Paulo, na Rua de Sèvres, Métro Vaneau, em Paris. Seu coração encontra-se em um relicário na Capela Nossa Senhora da Medalha Milagrosa. (Wikipedia)

 

Redação Abordagem Notícias

Fotos divulgadas no facebook



Compartilhe: