NOTÍCIA

19/12/2019

Bonito é lindo, maravilhoso!

A baixa temporada tem preços mais camaradas para passeios e hospedagem, e períodos de clima amenos.


Bonito é lindo, maravilhoso!

Bonito parece até nome-fantasia -- como se tivessem batizado o lugar por causa da belezura dos seus rios cristalinos, povoados por peixes coloridos. Trata-se de uma coincidência: o povoado se formou dentro das terras da Fazenda Rincão Bonito, fundada em 1869, mais de um século antes de inventarem o termo ecoturismo.

O fato de Bonito ser bonito, porém, explica apenas parte do seu sucesso. O diferencial de Bonito está em outros adjetivos -- como 'organizado', 'responsável' e 'sustentável'. Num país onde o turismo predatório impera, e piscinas naturais em alto-mar ficam tão apinhadas quanto banhos públicos japoneses, Bonito optou pela conservação.

Todos os atrativos -- a maioria situada em propriedades privadas -- têm plano de manejo e limite diário de visitação. Os visitantes são acolhidos em centros de recepção bem-equipados, onde recebem instruções para os passeios e são então guiados em pequenos grupos para o desfrute responsável da natureza. Na volta da flutuação, da caminhada, da cavalgada ou do banho de cachoeira, uma mesa farta de comida da fazenda, preparada no fogão a lenha, costuma estar à espera. Nham!

Para fazer os passeios é preciso reservar previamente, por meio das agências locais. Não adianta procurar a bilheteria na porta: não há como comprar ingresso na hora.

Bonito é único -- mas não deveria ser. Todos os destinos turísticos brasileiros têm muito o que aprender aqui.

Bonito: quando ir?

Bonito é um destino que pode ser visitado o ano inteiro, mas que oferece uma experiência melhor em determinadas épocas. A baixa temporada tem preços mais camaradas para passeios e hospedagem, e também períodos de clima mais ameno. Quem só viaja durante as férias escolares precisa escolher entre o risco de pegar chuvas no verão, ou encarar o frio do inverno.

Maio a setembro

O período que vai do final do outono ao início da primavera é o menos chuvoso em Bonito. O inverno é frio, mas as flutuações não ficam prejudicadas. Pelo contrário: com a escassez de chuvas, a visibilidade na água atinge o auge.

A temperatura dos rios se mantém sempre na casa dos 20°C, e o uso obrigatório de roupas de neoprene ajuda a conservar o calor do corpo. Só não dá para mergulhar nas cachoeiras ou nos balneários, que têm água mais gelada.

A temperatura média mínima fica em torno de 15ºC, e a temperatura média máxima, próxima dos 25ºC.

Junho, julho e agosto são os meses em que historicamente menos chove, com médias de precipitação inferiores a 55 mm.

Para combinar Bonito com o Pantanal, agosto e setembro são os melhores meses -- na época da seca, os animais procuram por água e acabam ficando mais à vista para os visitantes.

Quando ir a Bonito: verão

O verão em Bonito é chuvoso, quente e tem mais mosquitos. A vantagem de viajar no verão é poder se esbaldar nas cachoeiras de Bonito, que vão estar com mais volume d'água, e também nos balneários (as praias de rio).

Quem só tem as férias escolares para viajar deve tentar ir a Bonito o quanto antes, tanto para escapar do pior das chuvas -- que pode prejudicar as flutuações, turvando a água --, quanto para aproveitar as tarifas de baixa temporada ainda praticadas no iniciozinho de dezembro.

Por dados históricos, dezembro, janeiro e fevereiro são os meses de mais chuva, com médias de precipitação superiores a 165 mm. A temperatura média máxima no verão é de 30ºC, e a temperatura média mínima fica perto dos 20ºC.

Réveillon e Carnaval

É recomendável evitar o Ano Novo e o Carnaval em Bonito, quando a cidade atinge o pico da lotação. Mesmo que se consiga vaga nos atrativos, os demais serviços podem ficar prejudicados, e para comer nos melhores restaurantes vai ser preciso esperar em fila.

Como se deslocar aos atrativos

Há quatro maneiras de se locomover em Bonito até os atrativos: de carro, de transporte compartilhado, de transporte privativo ou em táxis.

De carro

Alugar carro é a alternativa mais prática. Em 3 pessoas, também é a opção mais econômica. A viagem acaba rendendo mais; você consegue fazer um roteirinho esperto encaixando dois passeios próximos em um mesmo dia, sem depender dos horários pré-determinados das vans compartilhadas.

No centro de Bonito existem lojas da Unidas e da Localiza, que entregam carros no aeroporto. A agência Bonitour tem uma pequena frota própria de carros para aluguel. Reservar com antecedência garante descontos. As estradas até os atrativos não são asfaltadas, mas todas são tranqüilamente trafegáveis por carros comuns, mesmo os de motor 1.0.

De transporte compartilhado

O transporte compartilhado é uma opção boa se você viaja sozinho, ou se está em uma dupla que não dirige, e viaja com tempo sobrando. As vagas nas vans são limitadas e o serviço deve ser contratado com a agência de receptivo de Bonito no mesmo momento em que você for reservar os passeios.

O transporte compartilhado custa, por pessoa, R$ 45 para passeios de meio dia (como ao Aquário Natural ou à Gruta do Lago Azul), ou R$ 75 para passeios de dia inteiro (à cachoeira da Boca da Onça ou ao Rio da Prata, por exemplo).

Não é barato, mas é no máximo metade do valor de uma corrida ida e volta de táxi até os mesmos lugares.

Como desvantagens: você não ter chance de escolher os horários dos passeios (que são definidos para que todo o grupo faça o passeio em um único horário, ou em horários próximos), e não vai conseguir encaixar dois atrativos em um mesmo dia.

As saídas das vans são geralmente pela manhã, e muitas vezes é dado tempo de almoço e tempo livre antes do retorno -- o que faz com que a visita a um atrativo acabe demorando mais do que seria exatamente necessário. As vans compartilhadas fazem na ida um circuito pelos hotéis do centro para buscar os passageiros que contrataram o serviço, e na volta também deixam cada passageiro em seu hotel.

Dependendo de onde o seu hotel esteja nesse itinerário, pode acontecer de você esperar até meia hora no lobby pela chegada da van. Não é oferecido transporte compartilhado para hotéis fora do centro de Bonito.

De transporte privativo

O transporte privativo vale a pena em grupos de 3 ou 4 pessoas que não dirigem. Acaba saindo mais barato do que o mesmo número de vagas em uma van coletiva, e sendo também mais conveniente: você pode agendar o horário que quiser para o passeio, sem precisar se prender aos horários pré-determinados do transporte compartilhado, e tem uma viagem mais proveitosa, conseguindo encaixar dois atrativos em um mesmo dia. Motoristas particulares podem ser contratados através das agências de receptivo, e os preços variam de agência para agência.

O transporte privativo de ida e volta até o Aquário Natural pode custar entre R$ 100 e R$ 130; para a Gruta do Lago Azul, entre R$ 120 e R$ 130; para o Rio da Prata, entre R$ 190 e R$ 200. A diária do carro privativo com motorista, independente do número de passeios, fica entre R$ 190 e R$ 210.

De táxi

Também existe a opção de pegar táxis, que têm pontos fixos na cidade e preço tabelado para as corridas. Uma corrida de táxi ida e volta do centro ao Aquário Natural sai por R$ 100; para a Gruta do Lago Azul, R$ 110; para o Rio da Prata, R$ 180.

 

 

viajenaviagem.com

 



Compartilhe: